Caderno Corporativo da Adm Unochapecó

Socialização do Conhecimento na Área do Estudo da Administração

23.4.10

Trabalho das Questões.

Questões:

  1. Conceitue, resumidamente, o modelo de negócios que a gol utilizou para entrar no setor de aviação civil no Brasil.

R: O modelo de negócio que a Gol utilizou era estabelecer uma companhia com baixas tarifas para atender a demanda das classes mais baixas, que avrem mão das tarifas e serviços luxuosas nas aeronaves. E seu modelo se baseava em cinco princípios: 1) Só realizar vôos doméstios; 2) Reduzir os gastos com serviço de bordo; 3) aumentar a produtividade por avião, diminuindo o tempo que os aparelhos permanecem no solo; 4) Ter uma froto homogênea e econômica, reduzindo despesas com a manutenção e combustível; 5) Utilizar aeroportos rgionais médios, onde as taxas cobradas das empresas são menores.

  1. Quais lhe parecem ser a missão e a visão da Gol? Você acha que elas mudaram ao longo dos anos? Consulte o site da companhia para confirmar sua resposta.

R: Atender a demanda das classes mais baixas com pequenas tarifas e serviços menos luxuosos que as outras companhias, lembrando que este perfil se encaixava no modelo low cort, low fare ( baixo custo, baixa tarifa) que vinha transformando pequenas companhias em grandes sucessos por todo o mundo.

Manteve sua estratégia para continuar reduzindo os preços e mantê-los abaixo dos concorrentes. Tendo como objetivo continuar inovando.

  1. Faça ma análise SWOT para o inicio das opeações da Gol.

R: Pontos Fracos: Ameaças: A alta concorrência do mercado. Aonde as outras empresas tantam se proteger desta agência aérea (gol). Situação freqüente no mercado0, dada como resposta e a reação das empresas concorrentes, através de altas ofertas e promoções que possam sobressair da empresa que esta do topo.

Pontos Fortes: A empresa opera uma frota homogênea e econômica. Economia de combustível. A empresa possui uma frota de aeronaves modernas que possibilita a redução dos custos com peças. Além da alta tecnologia de sistema interno. Boas estratégias e um bom planajamento.

  1. Segundo a tipologia de Michael Porter, qual é a estratégia de negócio seguida pela Gol? Quais são suas principais vantagens competitivas?

R: Era uma estratégia para continuar reduzindo os preços e mantê-los abaixo dos das concorrentes. Seu objetivo é continuar inovando, buscando novas tecnologias, mantendo uma frota moderna e elevando sua produtividade por aeronave. Além disso, a Gol pretende continuar aumentando sua basede clientes por meio da oferta de vôos em rotas muito demandadas e em rotas pouco atendidas pelos concorrentes, O monitoramento das rotas e da ocupação dos aviões permite que a companhia realize alterações rápidas no número e no horário das decolagens. Desse modo, a organização planeja dar sempre a melhor resposta á demanda dos consumidores. Um exemplo disso são os executivos de médias empresas, que constituem um segmento com elevado potencial de crescimento para a Gol. Para conquistá-los, a companhia pretende realizar vôos nos horários mais utilizados por eles e com preços mais acessíveis, além de aumentar os investimentos em marketing voltado para esse segmento.

  1. De que forma as estratégias funcionais contribuíram para o alcance dos objetivos da Gol?

R: A agência estabelece as suas estratégias funcionais visando suprir as necessidades da população em massa. O que dava base para que estas estratégias fossem alcançadas eram gerar facilidades a população, como vôos em horários de pico, checkin eletrônico economizando o tempo de espera do cliente. O conjunto destas estratégias ao serem efetuadas foram agregando cada vez mais destaque e variedade, o que aglomerou clientes e importância no mercado nacional e internacional.

  1. Utilizando a matriz BCG e a matriz GE/McKinsey, qual é a posição ocupada pela Gol. No inicio das operações e atualmente, no portfólio de negócios da Holding Áurea? E qual é a posição das empresas de ônibus?

R: No inicio das operações a empresa tinha como alvo o público de classe, média, priorizando vôos domésticos. Já atualmente o campo de visão da companhia volta-se também a vôos internacionais, ganhando reconhecimento ao redor do mundo. Conquistou importância ao definir rotas não utilizadas pela concorrência. As agências aéreas destacam-se das empresas de ônibus pelo maior conforto oferecido aos clientes, além da agilidade, que atrai a clientela pela facilidade de transporte e pela variedade de horários, sendo disponibilizados vôos nos horários mais procurados pelas pessoas.

  1. Procure analisar o setor da aviação civil do modelos das cinco forças competitivas de Michael Porter.

R: Teve presença marcante no mercado pelo seu diferencial no custo. A diferenciação da GOL foi estabelecer baixas tarifas para atender as classes mais baixas. Seu foco principal era oferecer um serviço de qualidade com baixos custos, tanto para os usuários quanto para a empresa. Priorizavam os vôos domésticos e os horários alternativos tendo destaque no mercado, utilizando estratégias diferentes tendo seu espaço no mercado.

  1. A aquisição da Varig parece significar uma mudança na estratégia da Gol. Você concorda com essa afirmação? Será que a Gol conseguirá manter sua vantagem competitiva e seu modelo de negócios com a Virg?

R: Sim, concordamos. Com a aquisição da Varig a Gol vai ter mais clientela, e muito mais vantagens que a concorrências, pois os clientes que eram da Varig com certeza irão continuar. E como a Varig era a líder, com a aquisição a Gol ficará com muito mais vantagens, e sem mudar nada, mantendo seu modelo de negócio.

Acadêmicas: Carina, Débora, Eliziane, Laura, Tatiane S. Rosseti e Vanessa Miotto.

Postado por Vanessa Miotto

criado por nessamiotto01    19:37:47 — Arquivado em: Administração — Tags:

31.3.10

Analise filme ” Uma secretária do futuro”

Aluno: Ricardo Gentilini da Rosa

Fase: 1 período   

Turma: B

Disciplina: Introdução a Administração

 

Uma Secretária do Futuro

O filme conta a história de uma secretária que não mede esforços para vencer no competitivo mundo da Bosla de valores de Nova York. Seus colegas de trabalho tem medo deTess, a secretária, tomar o lugar deles os deixando imponentes dentro do trabalho, porém ela mostra todo seu conhecimento afim de que alguem note o que ela poderá oferecer com seu conhecimento  na bolsa de valores de Nova York. Ela tenta varias vezes passar para um outro cargo, mas por ser uma simples secretaria não surge oportunidades dentro do seu trabalho, e sim surge uma vaga para trabalhar em um mercado de acções de uma conceituada executiva chamada Katharine, que é reconhecida por ser uma grande mulher dentro do mercado de ações de Nova York.

Tess passa  a ser sua secretária, onde logo de inicio ela nota ser mais velha que sua chefe, logo ela faz amizade com a executiva, mostrando seu conhecimento e habilidades no mercado de ações. Katharinenota o conhecimento de tess e acaba se aproveitando de sua espertesa para inovar uma grande negociação com um grande empresario. Durante este tempo katharine sai a uma viagem e acaba quebrando sua perna e passa a tess suasobrigações a fazer durante suarecuperação. Tess faz tudo que elamanda e durante suaobrigação tess escuta uma fita onde que a sua chefe rouba suaidéia e a passaem diante. Tess começa a traçar uma nova abordagem já que sua chefe não está no trabalho para assimaproveitar a oportunidade que ela viu para ser reconhecida e crescer na vida e no trabalho.

Agora a secretaria começa a elabora uma estratégia para tomarposse de suaidéia e a fazer sua carreira com ela. Começando a se passar por executiva ela consegue o apoio de  Jack um grandeempresário querendo conquistar o mesmo objetivo, assimcomeçam a traçar um planejamento para abordar uma grande industria, a TRASK INDUSTRIAS. Ela consegue  chamar a atenção da industria com sua grandeidéia, porem cheio dedesafios, mas  tess esta preparada para o que vier, porem ela elaborou um plano onde que  era tudo ou nada, arriscando suacarreira profissional. Tess vence todos osobstaculos, ate que uma hora sua chefe katharine volta ao trabalho e nota que havia algo de errado, no mesmo instante elaconsulta seus relatorios onde que aponta quea idéia de tess começou a seguir sem ela saber e autorizar, porem ela notou quetessa havia descoberto que ela tinha roubado sua ideia e começou botar elaem ação e que estava tudo dando certo, mas katharine não quis saber, seentrometeu no meio e a pegou devolta, sem noção alguma de onde e o que estava resolvendo porque ela não fazia nem ideia qual era a situação, pois nãotinha nenhum planejamento.

Tess não se deixou por aquilo, ela voltou e lutou pelo que era dela, e como elatinha o necessário para comprovar: Planejamento, estratégia e idéias; elasaberia como retomar seu negocio e mostrar que era delaa idéia e mostrar que é capaz de fazer acontecer, apesar de ela ser uma secretaria, e acabou vencendo a guerra e mostrou a todos quem ela era, e foi reconhecida, ganhou novo trabalho e ganhou uma secretária, que nem ela pensava que um dia iria ter.

 

Qual grande lição você tirou do filme?

Nós podemos alcançar e vencertodos osobstáculos dentro de umaempresa com, força, dedicação, estratégia, planejamento e competência, mesmo trabalhando em um cargo de menor importância, você trazendo retorno para a mesma, sempre será reconhecido e requisitado para o trabalho.

criado por ricardocco    21:54:17 — Arquivado em: Administração — Tags:

30.3.10

Trabalho da aula 29/03/10 administração 1º periodo turma A

1 - O que é Planejamento ? ( por VASCONCELOS filho, Paulo)

É preciso que haja planos para que a organização tenha seus objetivos e para que se estabeleça a melhor maneira de alcança-los. Além disso, os planos permitem que  a organização consiga e aplique os recursos necessários para a consecução de seus objetivos,  os membros da organização executem atividades compatíveis com os objetivos e os métodos escolhidos e  o progresso feito rumo aos objetivos seja acompanhado e medido, para que se possam tomar medidas corretivas se o ritmo do progresso for insatisfatório.

Os primeiros passos do Planejamento envolvem a seleção de objetivos para a organização. Depois, estabelecem-se objetivos para as subunidades da organização - suas divisões, seus departamentos, e assim por diante. Uma vez determinados os objetivos, estabelecem-se programas para sua consecução de maneira sistemática. É claro que, na seleção dos objetivos e no estabelecimento dos programas, o administrador leva em conta sua viabilidade e se eles poderão ser aceitos pelos administradores e pelos empregados da organização.

Os planos elaborados pela direção para a organização como um todo podem ser para prazos que podem ir de cinco a dez anos. Numa grande organização, como uma empresa multinacional, estes planos podem envolver compromissos de bilhões de dólares. O Planejamento em níveis mais baixos, pelos administradores intermediários, ou de primeira linha, abarca prazos muito mais curtos. Tais planos podem ser para o trabalho do dia seguinte, por exemplo, ou para uma reunião de duas horas a ser feita dentro de uma semana.

 

O que é estratégia? ( por VASCONCELOS filho, Paulo)

Estratégia é o programa geral para a consecução dos objetivos de uma organização e, portanto, para o desempenho de sua missão. A palavra “programa” implica, em nossa definição, um papel ativo, consciente e racional desempenhado por administradores na formulação da Estratégia da organização. Uma Estratégia estabelece uma mesma direção para a organização em termos de seus diversos objetivos e orienta o aproveitamento dos recursos usados para a organização seguir em direção a estes objetivos.

Também se pode definir Estratégia como o padrão de resposta da organização ao seu ambiente no tempo. Estratégia associa os recursos humanos e outros recursos de uma organização aos desafios e riscos apresentados pelo mundo exterior.

Toda a organização tem uma Estratégia – não necessariamente boa -, mesmo que esta nunca tenha sido formulada explicitamente. Quer dizer, toda organização tem uma relação com seu ambiente, que pode ser estudada e descrita. Esta visão de Estratégia inclui organizações onde o comportamento dos adminis-tradores é de reação - de resposta e ajustamento ao ambiente sempre que necessário.

Exemplo: Estratégia empresarial.

 

Tipos de Planejamento: ( Por Grant M. Robert)

O Planejamento estratégico é um processo gerencial que diz respeito à formulação de objetivos para a seleção de programas de ação e para sua execução, levando em conta as condições internas e externas à empresa e sua evolução esperada.

Planejamento Operacional: é considerado como formalização, principalmente através de documentos escritos das metodologias de desenvolvimento e implantações estabelecidas  e é desenvolvido pelos baixos níveis de gerência. 

 

Planejamento Tático: Tático tem pôr  objetivo otimizar determinada área de  resultados e não a empresa como um todo.  Pôr tanto, trabalha com decomposições dos  objetivos, estratégias e políticas estabelecidos no planejamento estratégico.

 

Análise SWOT e sua utilidade: ( Por ISABEL A., MOREIRA J )

A Análise SWOT é uma ferramenta utilizada para fazer análise de cenário (ou análise de ambiente), sendo usado como base para gestão e planejamento estratégico de uma corporação ou empresa, mas podendo, devido a sua simplicidade, ser utilizada para qualquer tipo de análise de cenário, desde a criação de um blog à gestão de uma multinacional. A Análise SWOT é um sistema simples para posicionar ou verificar a posição estratégica da empresa no ambiente em questão. A técnica é creditada a Albert Humphrey, que liderou um projeto de pesquisa na Universidade de Stanford nas décadas de 1960 e 1970, usando dados da revista Fortune das 500 maiores corporações.

 

Vantagem competitiva:  ( Por Profº Carlos Alberto de Faria)

O conceito de Vantagem Comparativa consiste nas diferenças de custo ou qualidade dos fatores nos diferentes países que fazem que o fabrico se realiza em países com vantagem competitiva que depois exportam para todas as partes do mundo. Para os que a consideram assim, a vantagem competitiva surge na localização onde a empresa realiza as atividades.

Exemplo:  Poder dos clientes.

 

O que é formulação estratégica de nível funcional? (Por António, Nelson Santos)

Estratégia Funcional – É a elaboração e implementação das estratégias de negócio através de planos de acção para cada área funcional da empresa.

 

 

Acadêmica : Angélica Marangoni.

 

 

2 - Conceito de Planejamento (Marcio Eduardo Corrêa Sampaio)

Planejamento é m processo contínuo e dinâmico que consiste em um conjunto de ações intencionais, integradas, coordenadas e orientadas para tornar realidade um objetivo futuro, de forma a possibilitar a tomada de decisões antecipadamente. Essas ações devem ser identificadas de moda a permitir que elas sejam executadas de forma adequada e considerando aspectos como o prazo, custos, qualidade, segurança, desempenho e outras condicionantes. Um planejamento bem realizado oferece inúmeras vantagens à equipe de projetos. Tais como:- Permite controle apropriado;
- Produtos e serviços entregues conforme requisitos exigidos pelo cliente;
- Melhor coordenação das interfaces do projeto;
- Possibilita resolução antecipada de problemas e conflitos; e
- Propicia um grau mais elevado de acertividade nas tomadas de decisão.

 

 

Tipos de Planegamentos (Profa. Marta Valentim)

 

-Planejamento financeiro: Fluxo de caixa, Investimentos, Aplicações.

-Planejamento de Produção: Produção, Manutenção, Abastecimento.

-Planejamento de Marketing: Vendas, Propagandas.

-Planejamento de Rh: Treinamento.

 

Análise de Swot e suas Utilidades

 

 

A Análise S.W.O.T. (ou análise F.O.F.A. em português) é uma ferramenta estrutural utilizada na análise do ambiente interno, para a formulação de estratégias. Permite-se identificar as Forças e Fraquezas da empresa, extrapolando então Oportunidades e Ameaças internas para a mesma.

De acordo com VALUE BASED MANAGEMENT (2007), Forças e Fraquezas (Strenghts e Weakness, S e W) são fatores internos de criação (ou destruição) de valor, como: ativos, habilidades ou recursos que uma companhia tem à sua disposição, em relação aos seus competidores.

Já as Oportunidades e Ameaças (Opportunities e Threats, O e T) são fatores externos de criação (ou destruição) de valor, os quais a empresa não pode controlar, mas que emergem ou da dinâmica competitiva do mercado em questão, ou de fatores demográficos, econômicos, políticos, tecnológicos, sociais ou legais.

Uma organização deve tentar se adaptar ao seu ambiente externo. A análise S.W.O.T. é uma ferramenta excelente para analisar as forças e fraquezas internas de uma organização, e as oportunidades e ameaças externas que surgem como conseqüência.

O que é Estratégia (Edson Gil de Mattos Júnior)

 

 

Todos querem.Todos procuram. Todos estudam, mas finalmente o que é estratégia?
Eu defino da forma mais simples possível: É a arte de alcançar resultados.E por conta disso mesmo é um conjunto de áreas de conhecimento que, quando corretamente aplicadas, culminam na possibilidade de que os resultados esperados sejam finalmente alcançados.

Ou seja, para se ter uma boa estratégia é preciso cumprir uma série de etapas e acompanhar cada uma delas corretamente para não deixar que algo saia errado.

As etapas que compõem uma estratégia dependem de cada situação e das variáveis envolvidas. Por isso que a estratégia somente pode ser desenvolvida a partir de uma boa análise que compreenda todo o conjunto de variáveis e circunstâncias daquele momento.

Em seguida a análise devemos proceder ao planejamento. Mas,um bom planejamento não define uma boa estratégia. É premissa, sem a menor dúvida, mas não define que as coisas ocorrerão exatamente como o planejado.

A estratégia estará sempre ligada ao resultado e em sua forma eficaz de alcançá-lo.

Ou seja, se você tiver feito cada uma das etapas da sua estratégia de forma excelente e, mesmo assim, o resultado não foi alcançado. Você não usou estratégia. Usou um conjunto de etapas divididas ou relacionadas em processos, fases, áreas de conhecimento e idéias, mas não foi uma estratégia. Não existe estratégia ruim. Existe o erro estratégico. Este sim custa muito caro às empresas e pessoas.

Portanto para se ter uma estratégia, observe o ambiente e as suas variáveis. Enxergue os possíveis resultados e planeje tudo para alcançá-los. Atue diretamente sobre cada uma das etapas e acompanhe de perto as pessoas, sempre identificando o que pode dar errado, buscando a perfeição estratégica absoluta a cada passo. E não esqueça de manter sempre o foco no resultado.

Desta forma as chances de alcançá-los serão muito maiores.

 

 

 

 

 

Exemplos de Estratégias (José Paulo de Souza)

 

 

 

 

A EstratégiaPreemptiva define um método para a expansão de capacidade de um mercado em crescimento (Porter, 1991). Neste caso, a empresa procura apossar-se de uma parte maior de mercado para desencorajar seus concorrentes a expandir-se e deter entradas. A estratégia preemptiva requer, além de investimentos em instalações, capacidade para suportar resultados financeiros a curto prazo marginais ou mesmo negativos. Seu risco está no comprometimento de recursos, logo de início, com um mercado antes dos resultados serem conhecidos. Além disso, se não houver um desencorajamento da concorrência poderá ocorrer uma “guerra desastrosa”, pelo excesso da capacidade em ampla escala.

 

 

Estratégia Corporativa representa mais que a soma das unidades de negócio, referindo-se a duas questões diferentes: de que negócio o grupo deve participar e como a matriz deve gerenciar suas unidades de negócio. Ela estabelece a forma em que a empresa irá competir. De acordo com ele, estas estratégias são uma combinação dos fins que a empresa busca e dos meios através dos quais ela espera chegar lá.

Definindo estratégia corporativa como a estratégia da empresa como um todo, Porter (1997) insere no estudo da estratégia corporativa assuntos como o ramo de negócios no qual a empresa deve se posicionar e a integração das estratégias das diferentes áreas de negócios. O desenvolvimento da estratégia corporativa, segundo ele, requer o conhecimento de três premissas básicas:

  • a concorrência acontece no nível das empresas;
  • integrar um grupo de empresas implica em custos inevitáveis para as unidades de negócio;
  • a gerência das unidades de negócio devem ter suas estratégias aprovadas por pessoas que sabem pouco sobre a organização (no caso os acionistas).

 

Conceito de Vantagem Competitiva

Vantagem Competitiva é um conceito desenvolvido por Michael E. Porter no seu best-seller Competitive Advantage e que procura mostrar a forma como a estratégia escolhida e seguida pela organização pode determinar e sustentar o seu sucesso competitivo.

A vantagem competitiva surge fundamentalmente do valor que uma determinada empresa consegue criar para os seus clientes e que ultrapassa os custos de produção. O termo valor aqui aplicado representa aquilo que os clientes estão dispostos a pagar pelo produto ou serviço; um valor superior resulta da oferta de um produto ou serviço com características percebidas idênticas aos da concorrência mas por um preço mais baixo ou, alternativamente, da oferta de um produto ou serviço com benefícios superiores aos da concorrência que mais do que compensam um preço mais elevado.

Segundo Porter, existem dois tipos básicos de vantagem competitiva: a liderança no custo e a diferenciação, as quais, juntamente com o âmbito competitivo, definem os diferentes tipos de estratégias genéricas.

Porter descreve ainda o instrumento básico para diagnosticar a vantagem competitiva e para encontrar formas de a intensificar: a cadeia de valores. Através da cadeia de valores, a organização é dividida nas suas atividades básicas (investigação e desenvolvimento, produção, comercialização e serviço) o que facilita a identificação das fontes de vantagem competitiva.

 

Estratégia de Nível Funcional (Waldyr Gutierrez Fortes)

 

·         Nível Funcional: Estas estratégias não são sempre consolidadas pelas exigências da demanda surgida pela implantação dos negócios da empresa, mas igualmente pela imposição de direções estratégicas legítimas que delimitam suas características nesse negócio singular, equacionando os problemas específicos de cada uma das áreas funcionais: Marketing, Produção, Finanças, Pesquisa e Desenvolvimento, Recursos Humanos etc.

Esses componentes, fundamentalmente, instrumentalizam os planos de negócios pertencentes a cada área, articulando-se com os níveis hierárquicos, que podem ser vistos como componentes do processo formal de Planejamento Estratégico.

 

 

 

 

                                                                                Acadêmico: Rafael Biondo

 

 

3- Conceito de planejamento: ( por Leon C. Megginson)

 

O planejamento é uma ferramenta administrativa, que possibilita perceber a realidade, avaliar os caminhos, construir um referencial futuro, estruturando o trâmite adequado e reavaliar todo o processo a que o planejamento se destina. Sendo, portanto, o lado racional da ação. Tratando-se de um processo de deliberação abstrato e explícito que escolhe e organiza ações, antecipando os resultados esperados. Esta deliberação busca alcançar, da melhor forma possível, alguns objetivos pré-definidos.

 

Tipos de planejamento e suas definições: (por Leon C. Megginson)

Planejamento Tático: é desenvolvido em níveis organizacionais inferiores, ou seja, é realizado no nível gerencial ou departamental, tendo como principal finalidade a utilização eficiente dos recursos disponíveis para a consecução de objetivos previamente fixados, segundo uma estratégia predeterminada, bem como as políticas orientadoras para o processo decisório organizacional.

Planejamento Operacional: corresponde a um conjunto de partes homogêneas do planejamento tático, ou seja, identifica os procedimentos e processos específicos requeridos nos níveis inferiores da organização, apresentando planos de ação ou planos operacionais. É elaborado pelos níveis organizacionais inferiores, com foco nas atividades rotineiras da empresa, portanto, os planos são desenvolvidos para períodos de tempo bastante curtos.

Planejamento Estratégico: (Por MAXIMIANO)

É o processo de elaborar a estratégia – definindo a relação entre a organização e o ambiente.
O processo de planejamento estratégico compreende a tomada de decisões sobre qual o padrão de comportamento que a organização pretende seguir, produtos e serviços que pretende oferecer, e mercados e clientes que pretende atingir.

 

Análise Swot e sua utilidade: (por Bryson J.M. and Roaring W.D.)

A análise SWOT  foi desenvolvida há 50 anos para ajudar as

empresas a definir as suas estratégias em contextos oscilantes e competitivos. Esta

ferramenta de apoio a tomada de decisão deve o seu nome ao facto de examinar os

pontos fortes e fracos de uma empresa, bem como as oportunidades e as ameaças do

mercado envolvente em que esta se posiciona. É uma das ferramentas clássicas de

análise estratégica, tal como a matriz BCG, do Boston Consulting Group que lhe da o

nome, similar em alguns aspectos.

As autoridades municipais e regionais estiveram entre as primeiras entidades públicas

que usaram a análise SWOT nos anos 80, servindo de enquadramento para reflexão

sobre diferentes cenários de desenvolvimento. A ferramenta é hoje frequentemente

utilizada enquanto componente de exercícios de planeamento e da avaliação ex-ante

de programas de desenvolvimento regional.

 

 

 

 

 Estratégia: (por VASCONCELLOS Filho, Paulo)

Estratégia é o programa geral para a consecução dos objetivos de uma organização e, portanto, para o desempenho de sua missão. A palavra “programa” implica, em nossa definição, um papel ativo, consciente e racional desempenhado por administradores na formulação da Estratégia da organização. Uma Estratégia estabelece uma mesma direção para a organização em termos de seus diversos objetivos e orienta o aproveitamento dos recursos usados para a organização seguir em direção a estes objetivos.

exemplo: Estratégia empresarial.

 

Vantagem Competitiva: (por Michael E. Porter)

A vantagem competitiva surge fundamentalmente do valor que uma determinada empresa consegue criar para os seus clientes e que ultrapassa os custos de produção. O termo valor aqui aplicado representa aquilo que os clientes estão dispostos a pagar pelo produto ou serviço; um valor superior resulta da oferta de um produto ou serviço com características percebidas idênticas aos da concorrência mas por um preço mais baixo ou, alternativamente, da oferta de um produto ou serviço com benefícios superiores aos da concorrência que mais do que compensam um preço mais elevado.

exemplo: ausência de concorrentes

 

O que é formulação estratégica de nível funcional? ( por Kenneth Corrêa)

 

O terceiro paradigma refere-se às estratégias competitivas das principais funções, tais

como marketing, operações, recursos humanos e finanças. Existe uma hierarquia de

estratégias segundo a qual seus diferentes níveis correspondem aos níveis da estrutura

organizacional nos quais as estratégias são formuladas. Dessa forma, a estratégia funcional é

formulada nos departamentos funcionais (WHEELEN e HUNGER, 1991a; HIGGINS e

VINCZE, 1989).

Decorrência dessa perspectiva de hierarquia é o fato que as estratégias funcionais

devem estar alinhadas e subordinadas às estratégias de negócio, e estas às corporativas. O

principal objetivo da estratégia funcional é: “maximizar a produtividade dos recursos

corporativos e divisionais de modo que uma competência distintiva seja desenvolvida para

prover vantagem competitiva à companhia ou unidade de negócio” (WHEELEN e HUNGER,

1991b).

Estudo anterior (MORAES, FLORÊNCIO e OMAKI, 2001) sobre empresas

brasileiras (não necessariamente supermercados) agrupou as principais estratégias de cada

área funcional. Apresentou como uma de suas principais conclusões o fato que o desempenho

superior resulta da conjunção de estratégias e que as estratégias mais utilizadas pelas

empresas analisadas tendem a se concentrar em até cinco por função.

 

 

 

 

Acadêmica : Vanessa Miotto.

 

criado por nessamiotto01    19:16:56 — Arquivado em: Administração — Tags:, , ,

9.3.10

Trabalho do primeiro periodo de administração. Campos de atuação dentre outros tópicos solicitados

UNOCHAPECO - Universidade Comunitária da Região de Chapecó
Coordenadora: Magda Bianchini Migliori
Curso: Administração
Alunos: Eduardo Felipe Galli, Luiz Fernando Dondoni, Rafael Piccoli e Tatiane Rossetti

1.0 - Campos de atuação do administrador

O administrador possui uma visão da organização, podendo assim ser designado como um articulador nestas. Com base em pesquisas, podemos afirmar que o administrador disponibiliza de recursos e processos eficazes, além que uma ótima integração com as pessoas e a promoção de ações internas.
Os próprios profissionais da área afirmam que o principal conhecimento para suas atividades é administrar pessoas e equipes.
O curso de administração proporciona uma visão do todo, ampla, seguida de um relacionamento interpessoal, abrindo vários leques, e divergentes caminhos de atuação para o administrador.
Tais como:
1.Administração Financeira

•Análise Financeira
•Assessoria Financeira
•Assistência Técnica Financeira
•Consultoria Técnica Financeira
•Orientação Financeira
•Diagnóstico Financeiro
•Pareceres de Viablilidade Financeira
•Projeções Financeiras
•Projetos Financeiros
•Sistemas Financeiros
•Administração de Bens e Valores
•Administração de Capitais
•Controladoria
•Controle de Custos
•Levantamento de Aplicação de Recursos
•Arbitragens
•Controle de Bens Patrimoniais
•Participação em outras Sociedades - (Holding)
•Planejamento de Recursos
•Plano de Cobrança
•Projetos de Estudo e Preparo para Financiamento

2.Administração de Material

•Administração de Estoque
•Assessoria de Compras
•Assessoria de Estoques
•Assessoria de Materiais
•Catalogação de Materiais
•Codificação de Materiais
•Controle de Materiais
•Estudo de Materiais
•Logística
•Orçamento e Procura de Materiais
•Planejamento de Compras
•Sistema de Suprimento

3.Administração Mercadológica/Marketing

•Administração de Vendas
•Canais de Distribuição
•Consultoria Promocional
•Coordenação de Promoções
•Estudo de Mercado
•Informações Comerciais - Extra - Contábeis
•Marketing
•Pesquisa de Mercado
•Pesquisa de Desenvolvimento de Produto
•Planejamento de Vendas
•Promoções
•Técnica Comercial
•Técnica de Varejo (grandes magazines)

4.Administração de Produção

•Controle de Produção
•Pesquisa de Produção
•Planejamento de Produto
•Planejamento e Análise de Custo

5.Administração e Seleção de Pessoal/Recursos Humanos/Relações Industriais

•Cargos e Salários
•Controle de Pessoal
•Coordenação de Pessoal
•Desenvolvimento de Pessoal
•Interpretação de Performances
•Locação de Mão-de-Obra
•Pessoal Administrativo
•Pessoa de Operações
•Recrutamento
•Recursos Humanos
•Seleção
•Treinamento

6.Orçamento

•Controle de Custos
•Controle e Custo Orçamentário
•Elaboração de Orçamento
•Empresarial
•Implantação de Sistemas
•Projeções
•Provisões e Previsões

7.Organização e Métodos e Programas de Trabalho

•Administração de Empresas
•Análise de Formulário
•Análise de Métodos
•Análise de Processos
•Análise de Sistemas
•Assessoria Administrativa
•Assessoria Empresarial
•Assistência Administrativa
•Auditoria Administrativa
•Consultoria Administrativa
•Controle Administrativo
•Gerência Administrativa e de Projetos
•Implantação de Controle e de Projetos
•Implantação de Estruturas Empresariais
•Implantação de Métodos e Processos
•Implantação de Planos
•Implantação de Serviços
•Implantação de Sistemas
•Organização Administrativa
•Organização de Empresas
•Organização e Implantação de Custos
•Pareceres Administrativos
•Perícias Administrativas
•Planejamento Empresarial
•Planos de racionalização e Reorganização
•Processamento de Dados/informática
•Racionalização

8.Campos Conexos

•Administração de Consórcio
•Administração de Comércio Exterior
•Administração Hospitalar
•Administração de Condomínios
•Administração de Imóveis
•Administração de Processamento de Dados/Informática
•Administração Rural
•Factoring
•Turismo

Existem alguns diferencias do administrador, que fazem evoluir a sua carreira, independentemente de sua graduação.

2.0-Significado do símbolo

Em 1979, o Conselho Federal de Administração promoveu um concurso nacional para a escolha de um símbolo que o representasse. Foram convidados profissonais como artistas gráficos, especialistas, além de presidentes e um corpo de jurados para a eleição do símbolo.
O concurso recebeu em média, trezentas e nove sugestões para o símbolo.

O símbolo escolhido para identificar a profissão do Administrador tem a seguinte explicação pelos seus autores:
“A forma aparece como intermediário entre o espírito e a matéria”.
Para Goethe o que está dentro (idéia), está também fora (forma).
O quadrado

Uma justificativa para a profissão, que possui também certos limites em seus objetivos:

organizar
dispor para funcionar reunir
arbitra
relatar
planejar
dirigir
encaminhar os diferentes aspectos de uma questão / para um objetivo comum.

As flechas indicam um caminho, uma meta.
O Símbolo escolhido para identificar a profissão do administrador tem a seguinte explicação justificada pelos seus autores:

O quadro como ponto de partida: uma forma básica, pura, onde o processo de tensão de linhas é recíproco. Sendo assim, os limites verticais/horizontais entram em processo recíproco de tensão.

“Uma justificativa para a profissão, que possui também certos limites em seus objetivos: organizar, dispor para funcionar, reunir, centralizar, orientar, direcionar, coordenar, arbitrar, relatar, planejar, dirigir, encaminhar os diferentes aspectos de uma questão para o objetivo comum”.

“O quadro é regularidade, possui sentido estático quando apoiado em seu lado, e sentido dinâmico quando apoiado em seu vértice (a posição escolhida)”.

“As flechas indicam um caminho, uma meta, a partir de uma premissa, de um princípio de ação (o centro)”.

“As flechas centrais se dirigem para um objetivo comum, baseado na regularidade (…) as laterais, as metas a serem atingidas”.

3.0 - Cor da pedra e itens do anel

3.1-Cor da pedra

Com fundamento no símbolo, o Anel do Administrador deverá ter no lado esquerdo o hexágono com símbolo científico, podendo receber no seu interior o logotipo da faculdade em que se formou o Administrador e, no lado direito, o quadrado contendo no seu interior todos os sinais básicos usados em fluxogramas.
A safira azul escura do anel do Administrador, denominada safira oriental, é um mineral que pertence à classe dos óxidos, grupo corindou. É denominada corindou nobre por sua transparência e coloração pura.
Neste grupo encontramos também o rubi oriental. Estas pedras são encontradas no Sião, na Birmônia, em Madagascar e no Brasil.

3.2-Anel do administrador

O anel do administrador tem como pedra a safira de cor azul-escura, pois a cor identifica as atividades criadoras através dos homens, que aumentam suas capacidades de construir riquezas.
O símbolo da profissão do administrador deve ser aplicado a um dos lados da pedra.

4.0-Lei que cria a profissão

A Profissão “ADMINISTRADOR” é uma profissão do futuro e acima de tudo jovem no Brasil, com apenas 40 anos, foi regulamentada pela Lei no. 4.769, em 09 de Setembro de 1965, a qual criou oficialmente a profissão. Portanto dia 09 de Setembro é o “DIA NACIONAL DO ADMINISTRADOR”.

Antes, eram citados como sendo três os fatores de produção: a terra, o capital e o trabalho. Com o tempo, verificou-se que não era apenas com estes três fatores que se chegava efetivamente à produção. Existia, existe e sempre existirá a real necessidade do fator de produção organização, cuja função básica é coordenar os outros três e dar condições favoráveis para se atingir o objetivo comum de todos. E a profissão que mais se identifica com esse último fator é a do Administrador.
A partir de 09 de setembro de 1965 a profissão foi criada “de direito” e hoje, o que é muito importante, está implantada “de fato”. E esta é a nossa função.
A seguir, disponibilizamos a legislação pertinente à profissão do Administrador.

Leis e decretos

Lei nº. 4769/65

Dispõe sobre o exercício da profissão do Administrador.

Decreto nº. 61934/67

Regulamenta o exercício da profissão de Administrador.
Regulamento da Lei Federal nº. 4769/65

Lei nº. 6206/75

Dá valor de documentação de identidade às carteiras expedidas pelos órgãos fiscaliz. de exercício profissional.

Lei nº. 6642/79

Altera dispositivos da Lei nº 4.769/65.

Lei nº. 6839/80

Dispõe sobre o registro de empresas nas entidades fiscalizadoras do exercício de profissões.

Lei nº. 7321/85

Altera a denominação do Conselho Federal e dos Conselhos Regionais de Técnicos de Administração.

Lei nº. 8873/94
Altera dispositivos da Lei nº 4.769/65.
Resoluções CFA

5.0–Juramento

“Prometo dignificar minha profissão, consciente de minhas responsabilidades legais, observar o Código de Ética, objetivando o aperfeiçoamento da Ciência da Administração, o desenvolvimento das Instituições e a grandeza do Homem e da Pátria”. O juramento foi oficializado pela RN CFA nº 201, de 19/12/97

criado por tatianesrossetti    16:28:08 — Arquivado em: Administração — Tags:

28.10.09

TEORIA ESTRUTURALISTA E TEORIA GERAL DOS SISTEMAS

Acadêmicos: Ari Junior;

Fabiane Giaretton;

Franciele Sachet;

Gabriel Marachon;

Geliane Casarotto;

Klisman Zuanazzi;

Leonardo de Cesaro;

Mauricio Martelli.

2° Periodo, Turma A

TEORIA ESTRUTURALISTA E TEORIA GERAL DOS SISTEMAS

“A origem do Estruturalismo reside, basicamente, no antagonismo entre os dois enfoques anteriormente estudados: Classico e Humanista.”

A teoria Estruturalista é a análise das estruturas organizacionais, consideranando as partes internas e comparando como um todo. Esta teoria nada mais é do que o seguimento de regras, sem fugir do que foi imposto, sendo treinado para ser uma máquina maquina, programada para executar tarefas, diminuindo assim a quantidade para que se tenha melhor qualidade. O modo de estrutura é analisado em comparação contínua, como a organização esta se comportando e esta sempre em analise. Tudo o que ocorre dentro da empresa afeta de alguma forma, pois tudo dentro dela está interligado, tendo seus efeitos benéficos maximizados, visando seus pontos negativos amenizados. O sistema é composto por partes menores, que sem elas não sobrevive, assim, qualquer modificação em uma parte (ou subsistema) tendera em uma alteração em outra, que culminará, por sua vez, em alteração em outras, e assim, em toda empresa.

A TGS é ligado por uma estrutura concreta (linha de produção) ou abstrato (comunicações verbais). O sistema é composto por partes que permitem uma visão global do todo. Essa é a condição de que necessita o administrador de cúpula para desempenhar sua função. Já as chefias intermediariam devem compreender melhor as partes especificas do sistema, embora não devam desprezar o relacionamento com o todo. O sistema se adapta às necessidades.

Conversamos e analisamos o funcionamento da cantina do bloco R. Ela é composta por um sistema de chefia e um subsistema de controle. A chefia é que faz com que a tarefa seja executada, supervisionando e exigindo que determinada tarefa seja refeita ou melhorada. O subsistema é controlado pela chefia, necessitando de tarefas para ser executada.

Ecosistema é composto pela concorrência, outra entidades, governo, ciências aplicadas, que interagem entre si, que possuem vínculos, dependendo uma da outra.

Sistema é onde estamos, nós compomos o sistema, pois interagimos, criamos, e modificamos este meio.

Subsistema é uma parte de tudo. A cantina compõem o sistema pois é por causa dela que ficamos no bloco R, onde nos reunimos para conversar e interagir com outras pessoas.

criado por fransachet    16:12:39 — Arquivado em: Administração — Tags:

27.10.09

Teoria Burocrática.

01: Faça, uma análise da burocácia, tendo como base o filme. Questão de honra . A teoria burocrática é utilizada no filme em várias situações:Na divizão das taréfas, onde cada um cumpre com sua função . E também na questão de poder que alguns exercem sobre outros, ou seja, parte comanda, e parte é comandada.

02:Como o poder é trabalhado no filme ? O poder é trabalhado de modo judicial, onde encara a autoridade de um corronél que agia de módo incorreto.

03:Qual a relação de poder e autoritarismo ? Poder implica potencial, para exercer influências sobre as outras pessoas, um exemplo de poder relacionádo ao filme é o advogado , que tem poder para fazer com que as pessoas atuem a seu favor, devido a confiança e sabedoria que exerce sobre os demais.

Autoritarismo, representa poder institucionalizado, e oficializado, onde no filme é exercido pelo corronél, que tinha  autoridede para mandar e os demais obedecerem, e cumprirem sua ordens.

04:Como as caracteristicas da Burocrácia, são administradas no filme ? As tarefas e níveis são bem distribuidos, parte comanda e parte é comandada. Porém tem um general autoritário que comanda seus subordinádos, mas que não responde de módo legal pelas suas órdens. Destá fórma o poder judiciário entra em ação e revela ao público a verdadeira cara da autoridade.

05: Qual seu conceito prático de burocrácia ? As empresas,trabalham, com mais agilidade e qualidade, não só na area que produz mas também na area financeira. Uma empresa organizada, além de diminuir seus custos tamém aumenta  os lucros.

Seguno período de adm Matutino:

Aluno: Roberto De Bortolli Moro.

criado por bortollib85    19:23:08 — Arquivado em: Administração — Tags:

23.10.09

Teoria burocrática

Vanessa Novéllo

Administração-2° período

Unochapecó

Alem das teorias de clássica e humanista, para o bom andamento de uma empresa a parte administrativa necessita da teoria burocrática.burocracia é poder, é a capacidade que alguém tem para realizar seus objetivos independente da estrutura e as resistência que possa haver para a sua realização, entende-se que haja alguém dominado e alguém dominando.

A conseqüência do poder é o autoritarismo, e este resulta na manipulação da força de trabalho através de alguma forma de repressão.Te como objetivo  maior a manutenção do poder e da dominação, a exemplo d que ocorre nas relações de trabalho.

 

Características da burocracia

            * É um poder racional;

* pressupõe a divisão sistemática do trabalho;

* autoridade racional;

Entre outras

.

Vantagens da burocracia

            *exige maior rapidez nas ordens;

            *detém maior disciplina em função da hierarquia formalizada;

* redução de custos devido a produtividade;

            *proporciona maior e melhor controle nas grandes empresas;

            *autoridade decorrente do cargo e não do individuo;

Entre outras.

 

            Na visão dos empresários as distorções do modelo burocrático estão hoje tão em moda que alguns autores divulgarão o sentimento popular através de sátira ao sistema, alguns exemplos que demonstram o “ridículo” e o exagero que o homem ideal ou racional  propaga através de sua ação:

 *lei da multiplicação do subordinado:”um chefe deseja sempre almentar o numero de subordinados, desde que estes não sejam seus rivais.”

*sublimação percussiva: “ quando um funcionário é incompetente bloqueia o serviço, ele é promovido para uma posição que, embora possa ser mais elevada, não poderá permitir que o trabalho seja realizado.

Entre outras.

criado por nessa_novello    10:12:15 — Arquivado em: Administração — Tags:

12.10.09

Equilíbrio entre Ser e Ter

Equilíbrio entre Ser e Ter

Estamos vivendo em um mundo contemporâneo, sendo assim temos que aproveitar nosso tempo ao máximo para nos instruirmos e alcançarmos nossas conquistas, ou seja, passamos maior parte da nossa vida correndo atrás dos bens materiais. Mas se formos analisar, também precisamos dos bens materiais para sobreviver.

- o que é mais importante na vida? Ter ou Ser?

-Então como manter o equilíbrio entre o ser e o ter?

-Para ser é preciso deixar de ter?

Estas foram algumas das questões levantadas para refletirmos na palestra de Jorge Nagem mestre em administração, professor universitário e integrante da Fundação Logosófica de Belo Horizonte. Que se baseou em nos mostrar qual a melhor forma de mantermos o equilíbrio entre o Ser e o Te

Segundo ele, tudo que for feito com alegria, entusiasmo, otimismo, com toda certeza teremos êxito. Um bom exemplo a ser analisado é: transformar um simples limão amargo em uma deliciosa limonada. Concluímos que podemos ver as coisas com dois ângulos: podemos enxergar apenas o que está à nossa frente ou então enxergar além do que olhos enxergam e transformar as coisas amargas em coisas boas, prazerosas. Assim conseguiríamos conciliar o Ser na alegria que sinto em desenvolver certa atividade e o Ter que é resultado da atividade realizada.

Os termos a seguir podem ser colocados dentro de uma pirâmide  onde a base é as necessidades fisiológicas e a superfície nos mostra  a  necessidade da auto realizacão:

AUTO-REALIZAÇÃO

RECONHECIMENTO

SOCIAL

SEGURANÇA

FISIOLÓGICAS

Entretanto concluí–se que na base da pirâmide prevalece o Ter e no topo da mesma prevalece o Ser.

Concluí–se também que :

Não basta Ter, é preciso saber Ter, dentro disso há sete pontos essenciais para analisarmos:

-Ter equilíbrio de excedente, ( não sacrificar a própria vida );

- não se perder, se desviar do meu objetivo;

- saber por que e para que se quer Ter. ( vinculado a um plano de vida de curto, médio e longo prazo);

- saber Ter de acordo como que é possível:

● conhecer a própria medida

● não possuir algo apenas porque o outro possui

- que o individuo do presente não comprometa o individuo do futuro;

- controlar:

Quanto ganhamos?

Quanto guardamos?

Quanto poderemos gastar?

É essencial manter um controle sobre as finanças para manter uma vida com equilíbrio e sem abusos excessivos.

- quer Ter seja um meio e não um fim em nossa vida.

Mas então o que significa Ser?

Entretanto podemos concluir que Ser significa saber, que o que realmente deve prevalecer em nossa vida é o Ser.

O grande segredo da vida é o equilíbrio, (Ser 90% e Ter 10%). Pois quando chegar a hora da despedida desta vida terrena, a única coisa que levaremos conosco é a sabedoria, já os bens materiais permaneceram, já que nada é nosso para sempre.

Estela de Mattos - segundo período de ADM.

criado por estelamattos    23:59:42 — Arquivado em: Administração, Administração — Tags:

11.10.09

Reportagem de uma empresa que se deu bem apessar da crise financeira.

CATERPILLAR - 2009

Rodovia Luiz de Queiroz, km 157, s/n PIRACICABA - SP
Uma empresa percebe a intensidade da fidelidade e admiração dos seus colaboradores quando atravessa momentos de crise.Na Caterpillar ficou bastante claro que os 4527 funcionários estão conectados com a companhia e seus valores. A empresa, fabricante de máquinas industriais e agrícolas,localizada em Piracicaba, interior paulista, foi uma das primeiras a sentir os efeitos da crise internacional. As exportações de máquinas despencaram desde o final de 2008 e a companhia teve de demitir quase 1000 pessoas. Além disso, em fevereiro, parte dos colaboradores teve o contrato de trabalho suspenso por cinco meses, por meiodo programa lay off, para se dedicar a 60 horas de treinamento por mês na própria empresa. “Também recebemos treinamento para outras funções. Não houve reclamação porqueninguém quer sair daqui”, diz um colaborador. Esse espírito de engajamento está diretamente ligado ao comprometimento da empresa com os seus colaboradores. “Sabemos queaqui o foco é o funcionário”, diz um colaborador. Não é exagero. No ano passado, a Caterpillar investiu 32 milhões de reais em programas de saúde. Os funcionários têm dois ambulatórios médicos internos e médicos disponíveis 24 horas. Para atender também os familiares, a empresa construiu a Vila Saúde, voltada para a prevenção e promoção da saúde, e oferece duas opções de convênio médico. Na área de saúde, seu programa para tratamento de dependentes químicos teve um índice de recuperação dos pacientes de 66% em 2008 mais que o dobro da média alcançada em programas semelhantes. Os funcionários também não têm do que reclamar em relação ao salário, que está acima da média do mercado. A remuneração está vinculada ao desempenho e funciona como instrumento de atração e retenção de talentos. Pelo menos uma vez por ano, todo funcionário pode ter um aumento salarial compatível com seu desempenho no período. Em 2008, entre promoções, transferências e mudanças de cargo, houve uma movimentação de 28%. É um excelente número já que o turnover espontâneo da Caterpillar é de menos de 1%, prova de que quem entra na empresa não quer sair. Ao contrário, o ciclo continua. É comum os filhos começarem a trabalhar na companhia depois que seus pais se aposentam. O atual presidente, Luiz Carlos Calil, simboliza bem a fidelidade do time da Caterpillar. Há mais de 40 anos na empresa, Luiz Carlos traçou toda sua trajetória profissional ali dentro, assumiu funções internacionais e voltou ao país como principal executivo da empresa em abril de 2008. A organização investe pesado em educação, no ano passado, foram gastos 5,5 milhões de reais em programas educacionais. No total, foram 495000 horas de treinamento. A liderança também desempenha papel especial na Caterpillar, que acredita que a principal característica do líder é sua motivação e a capacidade de deixar um legado. “Nosso relacionamento com as chefias é excelente. Temos um diálogo aberto”, diz um funcionário. Muito comprometidos, os colaboradores são incentivados a construir o destino da empresa. Em 2008, eles sugeriram 46315 ideias de melhoria nos processos de produção e 79% delas foram implementadas. Com a participação do time, a Caterpillar conseguiu uma economia de 1 milhão de reais. A preocupação da Caterpillar com bem-estar se estende além dos colaboradores. A companhia definiu cinco focos essenciais de desenvolvimento prioritário para Piracicaba: saúde, educação, meio ambiente, segurança e ação social. A empresa investe no desenvolvimento sustentável para melhorar a cidade e usa o trabalho voluntário de 280 pessoas, das quais 40 são da Caterpillar. Outro projeto importante é o Pequeno Cidadão que ajuda 100 crianças carentes, onde as crianças têm aulas de manhã, depois vão para o Serviço Social da Indústria (Sesi) ter aulas de informática, esportes e até gastronomia. Quando elas completam 18 anos, podem ser contratadas pela empresa. Está explicado por que ninguém quer deixar a Caterpillar.

Chrystiane Silva, de Piracicaba (SP)

Fonte revista Você S/A,

Comentario: O principal motivo responsavel por esta superaçaõ é referente a companhia ter uma comunicação clara e eficiente com todos os colaboradores e investir muito para preservar o bom ambiente de trabalho. Uma boa estrategia a ser seguida.

ACADÊMICA: Angélica Panis       2º periodo         Turma: B

criado por angelicapanis    19:28:56 — Arquivado em: Administração — Tags:

1.10.09

Teoria Burocratica

Lider:Camila Secco

Componentes:

Jeovani Neckel

Patrik Puhl

Gustavo Sczesny

Daiane Teixeira Da Rosa

Leidimara Vieira

Adaira Vieir

Mariana de Oliveira

Trabalho TGA Teoria Burocrática

1- Definição da teoria.

Seu método consistia na elaboração de tipos ideais, e a burocracia seria o tipo ideal de organização, que permitissem melhor conhecimento dos fenômenos estudados.

Para os socialistas, no entanto, a burocracia representava sério perigo para o trabalhador por ser um instrumento administrativo, relativamente autônomo, com metas e objetivos, nem sempre favorável as classes trabalhadoras.

2- Pensador e pequeno currículo.

Economista, sociólogo e filosofo alemão, que participou da comissão que elaborou a constituição da republica de Weimar. Ao escrever A Ética Protestante e O Espírito do Capitalismo em 1905, onde defendia uma tendência à racionalização progressiva da sociedade moderna, realizou estudos e foi um dos autores mais influentes do capitalismo e da burocracia.

3- Poder e autoridade são iguais? Qual a diferença.

Não. O poder é forçar alguém a executar uma tarefa, mesmo contra sua vontade.

Autoridade leva as pessoas a executar as tarefas de boa vontade.

4- Qual deles você prefere? Por quê?

Autoridade. Porque diz respeito a quem você é como pessoa, o seu caráter e a sua influencia que estabelece sobre as pessoas. Você pode dar sua opinião, isso faz com que você realize seu trabalho com mais desempenho.

5- Quais são as características de burocracia?

Suas características são formalidade, impessoalidade e profissionalismo.

6- Defina cada uma delas.

Formalidade: umas organizações formais, a autoridade baseia-se em normas e regulamentos com modelos e formulários próprios que estipula qual é o comportamento esperado, e quais os direitos e deveres dos participantes.

Impessoalidade: com a conseqüência a autoridade burocrática manifesta-se os cargos que compõem a hierarquia funcional e da transmitação, um sistema organizado demando e subordinação mutua das autoridades, mediante o controle das hierarquias inferiores pelas superiores.

Profissionais: o cumprimento do desempenho e o rendimento exigido dos funcionários durante sua permanecia, no serviço. O desempenho do cargo está condicionado a normas de aprendizagem, mais ou menos fixas e complexas.

7- Quais são as mais importantes? Por quê?

Todas as características são importantes na constituição de uma empresa, pois estão interligadas, com os mesmo objetivos, em busca dos melhores resultados e assim elas se completam e dependem uma da outra, para assim a constituição alcançar o sucesso.

8- Como você vê burocracia hoje?

Segundo Weber, as principais características de um aparato burocrático moderno são:

•Funcionários que ocupam cargos burocráticos são considerados servidores públicos;

•Funcionários são contratados em virtude de competência técnica e qualificações específicas;

•Funcionários cumprem tarefas que são determinadas por normas e regulamentos escritos;

•A remuneração é baseada em salários estipulados em dinheiro;

•Funcionários estão sujeitos a regras hierárquicas e códigos disciplinares que estabelecem as relações de autoridade.

9- A burocracia de hoje é a burocracia criada por Weber? Explique.

Sim. Talvez com pequenas mudanças, mas sempre buscando a mesma teoria.

10- Vantagens e desvantagens da burocracia. Faça uma analise.

Desvantagens:

· O parlamento não tinha qualquer poder efetivo sobre a burocracia, o que equivale a dizer que esta absolutamente não era controlada de forma adequada, nos padrões de uma democracia liberal.

· A manifestação de qualquer dominação dá-se sob forma de governo, isto ocorre porque as tarefas a serem realizadas exigem um aumento crescente de treinamento e experiência. A necessidade técnica favorece a continuidade dos funcionários, levando ao que Weber chama de dominação mediante organização.

· Há Heteronomia burocrática significa ausência de qualquer autonomia individual ou social, no que diz respeito à participação no processo administrativo.

· Para Weber a burocratização do mundo moderno constituía a maior ameaça a liberdade individual e as instituições democráticas das sociedades ocidentais.

· Para Weber a burocracia era um perigo e por essa razão, devia estar sempre controlada pelo parlamento.

Desvantagens:

1. Racionalidade em relação ao alcance dos objetivos da organização

2. Precisão na definição do cargo e na operação, pelo conhecimento exato dos deveres.

3. Rapidez nas decisões, pois cada um conhece o que deve ser feito e por quem e as ordens e papéis tramitam através de canais preestabelecidos.

4. Univocidade de interpretação garantida pela regulamentação específica e escrita. Por outro lado, a informação é discreta, pois é fornecida apenas a quem deve recebê-la.

5. Uniformidade de rotinas e procedimentos que favorece a padronização, redução de custos e de erros, pois os procedimentos são definidos por escrito.

6. Continuidade da organização através da substituição do pessoal que é afastado. Além disso, os critérios de seleção e escolha do pessoal baseiam-se na capacidade e na competência técnica.

7. Redução do atrito entre as pessoas, pois cada funcionário conhece aquilo que é exigido dele e quais são os limites entre suas responsabilidades e as dos outros.

criado por camilamsz    23:52:16 — Arquivado em: Administração — Tags:

Posts mais antigos »

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://admunochapeco.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.